segunda-feira, 27 de setembro de 2010



hoje faz um mês. faz um mês que partiste, que deixaste de estar aqui neste mundo, de estares sentado, de estares a escrever, sorrir, a falar, a sonhar e a olhar, a cantar a respirar, deixaste de estar no sofá a ver televisão, de jogares basket, deixaste de dar treinos, deixaste de abraçar constantemente, de me limpar as lágrimas, de gritar, de berrar, de chorar, deixaste-nos sem ti. mas apenas nos deixaste sem o teu corpo, porque tu aí, proteges-me, sorris para mim, limpas-me as lágrimas, falas comigo, olhas, ajudas-me, saltas, danças, cantas, VOAS, fazes exactamente o mesmo. apenas sinto-te da maneira diferente, sinto-te com uma pequena vento leve que ocorre para mim, basta eu chamar , com um olhar de fotografia. tu foste o homem mais fantástico que eu conheci ao longo da minha vida. tu em todo este tempo da tua doença nunca disseste que ias desistir, nunca disseste NÃO a uma única coisa. levantas-te a cabeça, sorriste, abraçaste a vida como nunca tinha visto ninguém. bolas, tu amavas mesmo viver. fizeste tudo o que podias e não podias. olho para trás e fico feliz com o que foste enquanto estiveste aqui, o quanto de amaste o quanto me mimaste, o quanto fizeste tudo por mim e por nós. é algo que não se esqueço, nem que morre, algo que fica e dura, algo que se sente. eu quero-te sentir, quero que continuas a olhar para mim. quero que continuas a limpar as lágrimas, quero que estejas para mim na mesma. quero que me venhas deitar, ao tapar a meio da noite como fazias desde sempre. agora posso falar contigo sempre que quiser. e sabes, tu és o o homem da minha vida. nunca vou amar tanto nenhum ser a face da terra como te amo a ti. aliás tu foste e és um grande pai. tu criaste-me! eu degenero de ti. e garanto-te, vou contar, um dia, aos meus filhos o orgulho que eu tenho em ti e a força que tu tiveste. és tão inigualável, nunca vou encontrar as palavras certas para ti. os 52 anos da tua vida, foi a fazer os outros felizes. agora este resto da minha vida maior parte dele vai ser a pensar em ti e no teu sorriso constante que não me sai na cabeça. as saudades aumenta cada dia, torna-se agoniante. mas não te esqueças, um dia irei ter contigo. e iremos ser eternamente felizes, um ao lado do outro. meu pai. és um exemplo para qualquer pessoa

4 comentários:

  1. vais ver que essa dor que tens no coração vai passar! e só vai ficar as saudades!
    bjinho

    ResponderEliminar
  2. obrigada (:
    sabes o descobri neste tempo todo de ausência ?
    q eu e ele somos um só !

    ResponderEliminar